quarta-feira, 29 de julho de 2015

a falta de um mapa


O constante pensamento de que o que as pessoas dizem não é o que realmente pensam e que cada pessoa é um universo só dela, que eu jamais serei capaz de compreender por completo me persegue e enlouquece.
Cada pessoa é uma ilha, e eu nunca sei como chegar ao tesouro dela. Elas não têm mapa.

sexta-feira, 29 de maio de 2015

bolha


Que saudade estava daqui! Faz bastante tempo que não escrevo, e desde a última vez, muita coisa aconteceu. Incrível como tantas coisas mudaram desde o começo do ano.
Ah, fiz aniversário! E se tem uma coisa que eu amo, é aniversários. É como se ali começasse uma nova fase e eu evoluísse (sim, tipo um pokémon) haha! Não é bem assim, mas gosto de fingir que é.
As vezes paro e analiso tudo ao meu redor: como está a minha vida no momento? Faço isso principalmente no meu aniversário. Bem, no momento a minha vida está uma bagunça calma. A bagunça que sempre foi, mas só fui perceber há um tempo atrás, e a calmaria que ninguém próximo a mim deixou acabar. Claro, durante esse tempo tive momentos agitados, talvez até demais, mas nunca durou muito. Acho que isso foi questão de me aceitar, ter amigos de verdade ao meu redor, perceber coisas (ou pessoas) que sempre estiveram ali, mas eu nunca tinha parado pra conversar de verdade e "ei, quer ser meu amigo?".
Acho que uma das épocas mais "difíceis" da minha vida foi lá pro ano retrasado. Eu tinha acabado de me mudar de São Paulo pro Rio de Janeiro, e tinha colocado na minha cabeça que ia mudar, ia fazer as pessoas gostarem de mim custe o que custar, ia, sei lá, ser popular. Já ouviu dizer que quanto mais popular, maior o mentiroso? Pois, é. Cara, eu fiz uma bolha de mentiras à minha volta, e cada vez mais e mais mentiras para manter as velhas, eu já não me enxergava mais. Manter tudo aquilo era exaustivo, sem contar o medo daquela bolha estourar. Ia estourar de uma vez, um monte de gente ia se molhar... Ah, e tudo isso em vão. Não nasci pra ser popular, sempre fui tímida, não consigo fazer isso.
Então eu mudei de escola, as coisas mudaram, a bolha foi ficando cada vez menor, e percebi a sensação boa que era tirar (quase) tudo aquilo das costas. Fui cada vez mais sendo eu mesma, acho que estou em uma boa fase, pelo menos em comparação à tudo aquilo. A bolha nunca de fato estourou, algumas mentiras ainda estão soltas por aí, algumas ainda me aparecem de vez em quando. Pouquíssimas pessoas me conhecem de verdade, sem realmente nenhuma barreira, e são essas pessoas que eu quero manter por perto, são essas pessoas que é como se fizessem parte de mim.
Sabe o quanto é incrível uma pessoa te conhecer por completo, não haver nenhuma barreira entre vocês? Você poder se abrir sem medo? Isso é maravilhoso.
É, ainda há muito tempo pela frente, espero ter coragem para tornar tudo real.

Com amor,
Isabela.

sexta-feira, 20 de março de 2015

armadilha


Eu nem deveria escrever sobre ele, não é? Ele não merece. Há quem diga que ele não merece nem mesmo meus pensamentos, quem dirá minhas palavras. Mas o problema não é esse, o problema é que eu já sabia disso desde a primeira vez que nossos olhares se encontraram. Eu sabia que ele fingiria para todos que conhece. Eu sei, ele não é uma estrela constante. E mesmo sabendo, me entreguei desde o começo, ele me pegou de surpresa.
E sei que não deveria, mas sinto falta daquele pseudo-amor-incondicional. Nós dois sabíamos que não era amor, nós dois sabíamos que não ia durar, mas não era assim que nos sentíamos.


Mas eu ainda não terminei

Acesse »
De cair em sua armadilha

domingo, 8 de março de 2015

o que tiver de ser, será


Terão pessoas que você vai se envolver mesmo sabendo que irá se decepcionar. E você irá se decepcionar. Mas, por alguns momentos, você se esqueceu disso, e BANG, já era. Não tem problema. Não foi por acaso.
Tenho acreditado muito naquilo de "o que tiver de ser, será". Não adianta tentar fazer o mundo girar ao seu redor, tudo tem um jeito, mas nem sempre será o seu.
Da mesma forma que coisas ruins acontecem de repente, as coisas boas também acontecem, só que nos momentos ruins a gente nunca lembra disso. Eu, pelo menos, estou em uma fase que tudo é o fim do mundo, mas nunca é. Nada que uma boa conversa com aquele amigo que te ilumina nessas horas, e uma boa noite de sono não amenizem, e, quem sabe, resolvam.
Terão pessoas que vão fazer tudo ficar colorido, te farão ter esperanças, colocar uma música e esquecer, parar de achar que a vida se resume na sua última decepção. Que vão te dizer que você não merece ficar triste por coisas tão insignificantes, você tem que pensar grande. Você é incrível. Deixe que o mundo te conheça, olha só pra você! Valorize a sua companhia. E, pelo amor de Deus, não deixe que pessoas que não se importam façam sua vida perder a graça. Você é muita mais que isso.

"Faz silêncio menina, que a sua felicidade anda precisando de paz."

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

me perdoa


Perdão por ter feito essa bagunça toda. Eu sei que tenho boa parte da culpa, sei que cometi muitos e muitos erros, desde os mais bobos aos enormes, como o último, que ainda não te deixa olhar pra mim. Poxa, foi tão mal assim? É, talvez. Mas não é como se só eu tivesse feito isso, muito pelo contrário. Por que você ainda age normalmente com ele? Não era pra ser assim, nada aconteceu de verdade. Ainda quero o seu bem e a nossa amizade de volta. Agora eu entendo essas meninas que deixam os amigos na "friendzone" por medo de acabar com a amizade também.
Lembra quando éramos apenas amigos e passávamos horas conversando? E da nossa música? É, ela já não é mais tão nossa. Quando ela passa na rádio ainda me lembro de você, sempre vou lembrar, mas já não faz sentido.
Não acho que tudo isso tenha sido um erro, nunca. Você mudou algo aqui dentro, e sei que mudei algo dentro de você também, nunca mais seremos os mesmos. Você é uma das pessoas mais incríveis que já conheci e perder toda a nossa ligação por causa disso é... triste.
Opa, mensagem sua. Mas não é pra mim, é no grupo da sala. Aliás, tem sido difícil olhar pra você não ganhar um sorriso de volta, nem mesmo um olhar.
Não sei se está tudo errado, se eu fiz tudo errado, mas, por favor, me perdoa por tudo, pelo que eu fiz e deixei de fazer. Eu sei que sua raiva só vai aumentar por dizer isso agora, mas eu te amo, no sentido mais puro e inocente que a palavra "amor" pode ter.

domingo, 15 de fevereiro de 2015

voltei + links


Gente, eu estava com tanta saudade!
Como foi o fim de ano de vocês? e o começo? O meu fim de ano foi bem legal. Como prometido, a minha família toda veio pra cá. Eu tive vontade de chorar quando perdi as fotos! Gente, mais de 1000 fotos! O cartão de memória formatou de repente :(
O começo de 2015 foi bem tranquilo, sem muitas novidades. Na última semana de janeiro fui para São Paulo! Já experimentaram Paleta de KitKat? Na Palateria Paulista no Tatuapé tem <3
Em fevereiro já começaram as aulas, gostei muito dos meus novos professores, mas não entrou nenhum aluno novo na minha classe :( Algumas coisas estranhas aconteceram nesse começo de fevereiro... Se é pra ter certeza de uma coisa, essa coisa é: o mundo dá voltas! Quando você menos esperar.
Mas o pior é que essas coisas estranhas me deixaram confusa. Me fizeram repensar tudo... Me fizeram ver que eu continuava mantendo sentimentos inexistentes para não magoar pessoas. Na verdade, ainda mantenho. Me falta coragem. Coragem de arriscar.
Lendo um texto no blog da Lari, eu percebi que o que me prendia à algumas pessoas era a incerteza. Acho que se eu não viver o momento de incerteza, nunca vai acontecer. Faz sentido? Gente, estou muito confusa, socorro! O ano de vocês começou confuso assim? Espero que não.

(PUBLICAMENTE) Quem, eu? - Umas história de amor: Cara, eu estou apaixonada por essa história! O mundo precisa de mais pessoas como o Fernando, mas pra isso a mudança começa por você!

Coloque um garoto na frente de uma menina e peça para que bata nela.: Uma amiga compartilhou esse vídeo no Facebook, e achei tão amor <3

(DEPOIS DOS QUINZE) Você não precisa ser popular para ser feliz: Muita gente acha que ser popular é a melhor coisa que pode acontecer na sua vida, mas não é bem assim, e a Bruna explica como poucos amigos verdadeiros valem muito mais que a cidade inteira sendo falsa.

(STEPHANIE COM PH) Dicas para sua house party: Gosto dessas festas em casa, e adorei as dicas das Ste, principalmente a das fotos penduradas!


(DEPOIS DOS QUINZE) Como ter o corpo perfeito: Cara, eu amo o trabalho da Bruna! Desde que li o primeiro livro dela, o DDQ, a minha mudou, sem exagero! O jeito dela de ver o mundo, mudou o meu, e a verdade é que devemos estar como nos sentimos bem. E o resto vai continuar sendo o resto.


21 segredos que pessoas ansiosas não contarão a você: E esse foi o dia em que descobri que sou ansiosa. E não sou pouco.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

as cartas

Eu tenho uma caixinha na prateleira mais alta do meu guarda roupa, e nela eu guardo cartas. Cartas que eu nunca vou enviar, até por várias delas não terem um destino certo.
São apenas cartas. Algumas enormes, desabafos e explicações, outras escritas com pressa pela euforia, várias marcadas por lágrimas, e todas elas com um pouco de mim.
Às vezes sinto como se fosse só eu e o mundo, um mundo cheio de desafios, que talvez eu não consiga sozinha, então eu pego um papel e uma caneta, e explico minhas aflições, analiso com calma, e vejo que muito daquilo nem faz sentido, sabe? Que estou fazendo tempestade em copo d'água. É por isso que eu amo escrever. Eu vejo o meu mundo de uma forma melhor, ao mesmo tempo que registro ele.
Na verdade, esse é o verdadeiro sentido das minhas cartas, registrar o meu mundo.
Um dia, eu quero achar essas cartas, abrir cada envelope, e sentir. Sentir que tudo passou.
Quando eu abrir essas cartas, estarei libertando minhas memórias para, quem sabe, uma pessoa que não se importe mais com elas. Mas, nesse exato momento, eu me importo, e é isso o que vale.